Adaptações

Hoje pretendo falar um pouco sobre adaptações para anime. Não levem nada do que eu disser aqui ao pé da letra, pelo amor de Deus. Não sou dono da verdade e nem pretendo ser. São apenas impressões pessoais sobre o assunto que, se interessar você, por favor, comente. ^^

As adaptações de manga para anime existem em três variedades bem específicas hoje em dia. Por exemplo, temos a adaptação de mangá ainda em andamento, como “Naruto”, “Bleach”, “Sora no Otoshimono” e mais uma penca de animes hoje em dia, já que os produtores (e mangakás) querem ganhar ganhar dinheiro o mais rápido possível com a adaptação, o que acaba deixando muito dos fãs com raiva, pois essas adaptações tem o dom de arrastar um ou dois capítulos de mangá por um episódio inteiro, ou mais, ou estragar completamente o clima que o mangá tinha. Outro tipo seria o que foi feito em “Negima?!”, em que usam apenas os personagens e mudam completamente a história, deixando os fãs do manga com sentimentos um tanto quanto embaralhados. Geralmente nesse caso é oito ou oitenta. Uns adoram outros odeiam. Dificilmente você encontra alguém neutro quanto a essas adaptações. O terceiro tipo, e o melhor na minha opinião, é a adaptação direta, quando os produtores reconhecem o potencial do material que tem em mãos e fazem de tudo para manter o mesmo clima e qualidade. Tivemos casos no passado que fizeram sucesso exatamente porque os produtores fizeram a adaptação com a qualidade em mente, tornando esses animes em clássicos quase instantaneamente. E isso não se prende somente a mangá não, mas é o que geralmente fazem. Alguns exemplos de adaptações fiéis que deram certo? “Hikaru no Go”, que apesar de usar o Go como pano de fundo é na verdade uma história sobre crescimento pessoal e, de certa forma, espiritual, e os produtores mantiveram fielmente essa premissa cuidando de detalhes que a gente só percebe depois de dezenas de episódios, como por exemplo, o character design vai mudando de forma quase indelével, e a gente só percebe essa mudança quando acontece um flashback e a gente revê os personagens como eles eram no começo da história. Temos “Death Note” que, para muitos, é um símbolo de história sobre como o poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente. O nosso anti-herói Light Yagami é um dos poucos personagens claramente malignos que praticamente todo mundo queria ver se dar bem no final das contas, mas ninguém reclamou quando ele teve o que merecia. Fora do âmbito dos mangá, temos a série de Light Novels de Suzumiya Haruhi, em que, na primeira temporada, os produtores resolveram utilizar tudo exatamente como estavam nas histórias, sem tirar nem por, usando inclusive a ordem aleatória nos episódios, da mesma maneira que as compilações das histórias publicadas anteriormente usavam deste artifício para mostrar os personagens em diferentes pontos da suas vidas. Prefiro não falar de adaptações de eroges porque, sinceramente, são tantas que é difícil de dizer as que foram bem adaptadas e quais foram feitas mudanças na história e tudo mais, mas não posso falar de adaptações que deram certo sem falar de CLANNAD, não o filme quebra-galho que saiu alguns anos antes da série e sim a adaptação feita pela Kyoto Animation em parceria com a Key Visual Works. CLANNAD superou conseguia, episódio a episódio, superar expectativas. Conseguia num mesmo episódio gerar emoções em quem assistia usando uma bela animação junto com uma trilha sonora de tirar o fôlego, aliados a uma história simplesmente perfeita que a KyoAni conseguiu trazer de forma perfeita da Visual Novel para a série. Alías, CLANNAD, Kanon e Air, a trilogia dessa parceria tinha esse poder de gerar emoção em quem assistia. Não tinha como não se envolver na história sem se emocionar, e essa é uma das razões que mal posso esperar por uma eventual adaptação de “Little Busters”, mas parece que não vai rolar. Pena.

Adaptações que dão certo são complicadas de se achar, e em alguns casos, elas parecem estar sendo feitas de forma certa no começo e acabam por perder o caminho durante a apresentação. Alguns casos como o de Maburaho, em que a história começa bem mas acaba completamente diferente e de certa forma pior que o manga, ou de Zettai Karen Children que a históra começa bem diferente, e, apesar de a adaptação ter se saído bem no final das contas, pra quem lê o manga sente algo estranho e que fica com uma sensação estranha quanto a história. Tudo isso, é claro, varia de pessoa para pessoa, mas o ponto é, quando a adaptação é bem feita, tratada com carinho pela equipe de produção, ela vai ganhar muito mais fãs do que alienar os fãs antigos.

Era isso. Só queria falar um pouco sobre esse assunto.

Sniperk
Over and Out

~ por Sniperk em 25/10/2011.

 
%d blogueiros gostam disto: