Nanoha StrikerS – Review

Review?! Nahh. É só algumas palavras de um fã da série. ^^

Algumas coisinhas que quero falar sobre o anime e num podia no post do release por que a maior parte é Spoiler.

Portanto….

!!!!!ALERTA DE SPOILER!!!!!!

O post está RECHEADO de spoilers da série então se você não assistiu ainda, não leia o resto. Agora se você não se importa com essas coisas, ou já viu a série, seja bem vindo. ^^

Comecei a assistir nanoha quando encontrei esse post do Zyl(em inglês) sobre Nanoha o que me deixou mais confuso ainda sobre a série que ainda não tinha assistido. Resolvi buscar mais informações sobre a série, só pra entrar em desespero logo depois de ler isso, isso e isso. E depois de pesquisar aqui, e dar uma passada rápida pelo /a/, fiquei foi com medo da quantidade de material que a série possui (Pra vocês terem uma idéia, pesquisar o termo “Nanoha” no google retorna mais de 1.300.000 páginas. Nada mal pra um “Spin-Off de Triangle Hearts não acham? ). Mesmo assim, achei interessante o suficiente para acompanhar. Pra que? Acabei completamente absorto nela e assisti TODOS OS EPISÓDIOS de uma vez só, parando só pra comer e dormir, em um fim de semana. Mas nessa época nem pensava em fazer esse anime, nem pensava em fazer um fansub na verdade. ^^

A série aumentou muito o quesito ação dos animes até então, principalmente a primeira e a segunda temporadas. Na terceira a cadência diminui um pouco e a ação deixa de ser o foco principal, mas pra quem está viciado na série a essa altura, não dá a minima bola, sem falar que ela tem seus momentos épicos, como por exemplo:

– Episódio 8 – Nanoha entra em modo “Demônio Branco” e acaba com a raça da Tiana, uma pena que mudaram os olhos dela na versão DVD mas mesmo assim essa cena ficou muito massa

– Episódio 11 – Quando a Hayate começa a disparar feito doida contra os gadgets aéreos e lança a mesma magia que o “Grimório da Escuridão” usou na segunda temporada, a Diabolic Emission contra as ciborgues.

– Episódio 16 – quando a Vita e a Rein entram em Unison pela primeira vez

– Episódios 5 e 17 – quando a Caro invoca o Fried e o Voltaire, respectivamente, pela primeira vez.

– Episódio 17 – quando a Subaru entra em modo Berserk e praticamente aniquila a Cinque.

– Episódio 23 – a Tia derrota TRÊS ciborgues sozinha, considerando que ela se acha a piorzinha dentre todos os da Sexta Divisão

– Episódio 23 – a Subaru tem aquela conversa reveladora com o Mach Calliber antes de lançar um Divine Buster simplesmente arrasador na Ginga

– Episódio 24 – quando o Erio usa pela primeira vez os seus poderes “elétricos”

– Episódio 24 – A Fate usa o “Overdrive Shin Sonic Form” com as duas espadas e brinca de baseball usando o Scagllieti como bola.

– Episódio 25 – a Nanoha finaliza a Quattro de uma das formas mais satisfatórias que eu já vi em qualquer anime, com um Zenryoku Zenkai Blaster Three Divine Buster( Zenryoku Zenkai pode ser lido tanto como “A toda força” quanto “Aniquilação total” em japonês ) através das paredes da nave

– Episódio 25 – O final do combate da Nanoha com a Vivio em modo Santo-Rei, com um Starlight Breaker x5 + 1 Break Shoot.

Claro, esses são apenas alguns momentos. Ainda tem muito mais na série em si, mas é um bom aperitivo. Ah, passe o mouse por cima da imagem para alguns comentários.

Temos ainda as cenas de desenvolvimento dos personagens que, mesmo sendo poucas, foram bem feitas. O problema principal de StrikerS foi a quantidade tosca de personagens diferentes com históricos diferentes, o que acaba deixando a coisa meio estranha e esparsa. Os novatos, Caro, Erio, Subaru e Tiana, são desenvolvidos mais a fundo na série de Manga “A’s to Strikers”, então talvez tenha seja por isso. Pra quem não tem problema com o inglês, eu recomendo dar uma olhada no onemanga, apesar de não ter a série completa aí, tem bastante material para entender melhor o desenvolvimento dos quatro Avançados.

Um dos fatos interessantes nesse anime, é que a Nanoha e a Fate dividem um quarto no dormitório da Sexta Divisão, o que gerou milhares de doujins, imagens, sidestories, fanfics e o diabo-à-quatro sobre a relação “amorosa” entre as duas. Pra se ter uma idéia até um site dedicado ao “casal” foi criado pra reunir todo esse material. Quem quiser ver é só clicar entrar em http://nanofate.net/ em inglês. Algumas cenas do anime foram alteradas propositalmente nesse sentido. 😄

Hayate é aparentemente a mais poderosa entre as três em força bruta, possuindo rank SS, e com uma quantidade de energia mágica (mariyoku) que explodiu os medidores quando foram fazer os testes com ela. Ela tem cinco (alguns dizem que seriam quatro e meio XD) guarda costas, que ela trata como se fossem da família, e em mais de uma vez diz serem seus filhos. Signum, a cavaleira Belka; Vita, a Cavaleira do Martelo-de-Ferro; Shamal, a Dama dos Lagos; Zafira, o familiar protetor; e Reinforce Zwei, o device de unison. Reinforce Zwei é a reencarnação da Reinforce, que por sua vez era originalmente o “Grimório da Escuridão” do qual os gurdiões da Hayate faziam parte. É confuso, mas é isso mesmo.

Fate, Nanoha e Hayate não precisam de mais apresentações. São as três ases do Mar, Ar e Terra, e quando estão juntas, chegam a ser comparadas aos Três Grandes Almirantes do passado. Pra quem não sabe, os Três Almirantes foram quem salvaram o mundo e trouxeram a paz para todas as dimensões.

Scaglietti como vilão não é dos mais originais mas faz algumas coisas bem legais, como por exemplo, ao invés de mandar um subordinado de cada vez pra ser incodicionalmente abatido pelas heroínas, ele manda TODAS de uma vez só. Sinceramente, o único outro anime que lembro que fez algo parecido foi Code Geass R2. Ele também usa e abusa de poderes e pesquisas que ele mesmo criou para fazer coisas incrivelmente mais perigosas para as heroínas. Uma dessas pesquisas, as Ciborgues de Combate ( Sentou Kijin, no original), são peças chave em toda a série com as suas Influent Skill, que na minha opnião foi mal feito no anime, e a sigla IS deveria ser Inherent Skill, mas isso não vem ao caso. Claro que cada uma das ciborgues tem a sua própria personalidade e modus operandi mas… também caem no problema da falta de desenvolvimento no anime. Due e Cinque, por exemplo, são duas das ciborgues que mal aparecem, e logo são destroçadas. Mas como disse anteriormente, o desenvolvimento delas fica mais a cargo do Manga/Novel/Drama CD etc., então não reclamo muito disso não.

Subaru e Ginga também são duas ciborgues que, por incrível que pareça, foram criadas ainda pequenas e estão crescendo como pessoas normais, (enquanto a Vita apareceu na segunda temporada como uma baixinha tsundere e na terceira continua exatamente igual ao que era 10 anos atrás)

É um anime legal para passar algumas horas de entretenimento, mas não levem tudo a sério demais. É sentar, desligar o cérebro e aproveitar algumas explosões e Zettai Ryouiki. 😄

Ah sim, antes que eu me esqueça, Hayate e Tiana continua sendo minhas personagens favoritas. 😄 Ainda vou encontrar algum fanfic/doujin com essas duas, nem que eu mesmo tenha que escrever.

Era isso.

Sniperk, Over and Out.

Anúncios

~ por Sniperk em 01/06/2009.

 
%d blogueiros gostam disto: